“Neste instante decido voltar ao Brasil” – Suely Rolnik

"A canção que me ocorre é uma entre as tantas do Tropicalismo - versões musicais do intenso movimento criador que vivíamos no Brasil nos anos sessenta, cuja interrupção brutal pela ditadura fora indiretamente responsável por meu exílio em Paris: 'cantar como um passarinho de manhã cedinho… abre as asas passarinho que eu quero voar… me... Continuar Lendo →

Da filosofia como modo superior de dar o cu ou Deleuze e a “homossexualidade molecular”.

Paul Beatriz Preciado.* Só há uma sexualidade, a homossexual … Só há uma sexualidade, a feminina. Félix Guattari, 1979 A homossexua1idade é a verdade do amor. Gilles Deleuze, 1964 A noção de “homossexualidade molecular” de Deleuze continua sendo um conceito periférico raramente analisado pelos comentaristas deleuzianos, apesar da posição estratégica que esta ocupa na estrutura de O Anti-Édipo e da frequência com a qual Deleuze... Continuar Lendo →

24/7

24/7 è un libro d'artista realizzato da Gisele Asanuma con il contributo del figlio Lucas (all'epoca di sette anni) durante i primi centoventi giorni di blocco della pandemia COVID-19 nell'anno 2020 a San Paolo, in Brasile. Si trattava di registrazioni giornaliere realizzate su tre grandi fogli di carta https://www.youtube.com/watch?v=igYB88oW5tI

Pequenos vídeos e recolhas acerca da morte do homem e o super-homem

5 minutos https://laboratoriodesensibilidades.wordpress.com/2016/07/25/luiz-orlandi-5-min-e-37-seg-deus-sec-xvii-e-o-declinio-da-finitude-sec-xix-forma-homem/ 4 minutos https://www.google.com.br/amp/s/laboratoriodesensibilidades.wordpress.com/2016/07/14/luiz-orlandi-video-de-4-minutos-o-homem-dissolveu-se-combinatorias-finito-ilimitadas-mundos-viviveis/amp/ Os primeiros minutos dessa aula é acerca da morte do homem e o super-homem                        https://laboratoriodesensibilidades.wordpress.com/2017/05/05/luiz-b-l-orlandi-aula-3-anti-edipo-maio-2006-puc-sp/ “Deleuze também aponta nessa direção no anexo de seu livro sobre Foucault. Segundo Deleuze, a interpretação correta do que Nietzsche chamava de “o super-homem” seria: se a forma-homem aprisionou a vida, com que novas... Continuar Lendo →

Acima ↑