Deleuze acerca do poeta Gherasim Luca

“Estou cada vez mais tocado pela potência de uma “lógica” singular que move cada poema em sua obra.”

 

 

Veja no post bem abaixo a tradução do texto Passionnément de Gherasim Luca e notas afins.

Li recentemente os textos de Héros-limite de Gherasim Luca. Estou entusiasmado, muito tocado pela força e novidade. Acabo de ler na Novelle Révue de psychanalise, o “Primeiro manifesto não-edipiano” e disse a mim mesmo de uma maneira tola — curioso — será preciso que eu leia isso. O que Luca escreve é de uma profundidade, novidade, beleza dura da qual eu não tinha idéia. Li Héros-limite, morri de rir, e depois da simples curiosidade experimentei uma perturbação. O disco com as poesias de Gherasim Luca funciona como máquina de intensidade emotiva sobre os nervos e sobre a alma. Já tenho muitas coisas a dizer acerca dos livros de Luca (ai de mim, como poderia ser de outro modo? não consigo matar o comentário) mas isso me interessa menos neste momento do que a emoção e a admiração que eles me dão, que eles põem em mim, mais exatamente. Acerca de Gherasim Luca, estou abatido por um mal entendido que fez com que a revista Critique acabe de anunciar a publicação de um artigo futuro meu sobre Luca, dando como título “sobre dois poetas rumenos Luca e Trost”. Não só Trost não é poeta, creio, como eu jamais considerei Luca como um poeta “rumeno”. Escrevi imediatamente à Critique para que mude esse parênteses estúpido. É Admirável a obra Chant de la Carpe. Tudo aí é maravilhoso. Emoção de ver escrito Pas pas… (continuo a crer que nunca houve mais forte poema, Trata-se de “Passionnément” em Le Chant de la carpe.). Há muito tempo fui ao sarau em FR3 foi comovente. Fui ouvir Ghérasim Luca e tive um tal sentimento de beleza que isso foi para mim um raro e grande sarau. Se fosse “felicitá-lo”, em seguida, posso crer que só diria banalidades face uma coisa tão grande que ele faz e é. Luca dá à poesia uma vida, uma força, um rigor que só se iguala aos maiores poetas. Ele é um deles. Sinto pelo seu gênio uma admiração e um respeito que fazem com que haja uma descoberta absoluta toda vez que eu o ouço ou leio. Le Tourbillon qui repose é esplêndido. Estou cada vez mais tocado pela potência de uma “lógica” singular que move cada poema em sua obra.

https://laboratoriodesensibilidades.wordpress.com/2013/11/30/passionnement-de-gherasim-luca-que-cria-uma-outra-lingua-no-interior-da-lingua-a-linguagem-inteira-tende-para-um-limite-assintatico-agramatical/